terça-feira, 21 de junho de 2011

Substrato para vasos e jardineiras


Substrato:
É basicamente, o meio no qual se desenvolvem as raízes das plantas cultivadas em recipientes fora do solo, ou seja, é a “terra” colocada nos vasos e jardineiras, e tem a função de dar suporte às plantas, regular a disponibilidade de nutrientes, água e oxigênio para as raízes. Pode ser formado de fontes minerais e ou orgânicas, de uma ou de vários tipos de materiais diferentes.
O substrato necessariamente deve ser melhor que o solo em todas as características, pois deve proporcionar à planta:
  • Um maior aproveitamento da água aplicada,
  • Fornecendo o ar necessário às trocas de gases e respiração das raízes,
  • Permeabilidade, dando condição às raízes de desenvolvimento
  • Firmeza, propiciando suporte e ancoragem à planta
  • Densidade e volume constante, seco ou molhado
  • Não permitir mudanças bruscas de pH (acidez)
  • Reter os nutrientes necessários ao desenvolvimento da planta.
  • Alta estabilidade, evitando compactação
  • Resistência á decomposição e apodrecimento
  • Inexistência de agentes causadores de doenças e pragas
  • Inexistência de sementes de quaisquer tipos de plantas.
 Podem ser utilizados vários tipos de materiais para compor o substrato, trazendo as características necessárias:
Areia: 

Elemento mineral inerte, utilizado para aumentar a porosidade e drenagem do substrato.

Vermiculita:

Minério capaz de expandir até 20 vezes quando aquecido, o produto dessa expansão é inodor, não irrita a pele ou pulmão, não decompõe, nem atrai insetos, traz leveza e baixa densidade ao substrato.

Casca de pinus:

Produz elementos fitotóxicos que impedem a germinação de sementes, por isso não deve ser utilizado sem a retirada desses elementos, que podem ser eliminados pela compostagem, é muito utilizado em orquídeas e também na jardinagem, em decoração de lugares onde não se queira que haja germinação de plantas daninhas.

Casca de arroz carbonizada

Um resíduo do processamento do arroz, é totalmente isento de doenças e pragas, por causa da carbonização, possui silício, mineral que confere á planta resistência aos ataques fúngicos.

Turfa: 

É um material de origem vegetal, parcialmente decomposto que provém de regiões pantanosas, consegue reter com eficácia os nutrientes e disponibilizá-los à planta, geralmente estão presentes em substratos comerciais.

Humus:

Matéria orgânica estável resultante da compostagem (veja como fazer) ou da vermicompostagem, que é o uso de minhocas na produção de húmus, decompondo o lixo orgânico em poucos dias (30 a 35 dias).

Fibra de coco:

Produto ecológico, pois se trata de um reaproveitamento de materiais que seriam descartados, inerte, não possui nutrientes, não retém água e possui decomposição lenta, depois de triturado pode ser incorporado a outros materiais, aumentando a drenagem do substrato.

Sphagnum e Hypnum

São musgos que depois de desidratados, possuem a capacidade de manter a umidade e de manter uma decomposição lenta, muito utilizados para o cultivo de orquídeas e plantas carnívoras, utilizando misturas de musgos e areia.

Perlita

Mineral de rocha formada por silicatos, muito utilizada no cultivo de suculentas, aumenta a capacidade de drenagem e uma maior aeração das raízes das plantas.


Mesmo com estas informações, fica a dúvida de qual substrato utilizar.
Não existe uma receita de bolo para se preparar um substrato ótimo que supra as necessidades de todos os tipos de plantas que você queira cultivar, por isso são necessários testes com o material que se tenha em mãos para a produção de um substrato que atenda suas necessidades. Lembramos que estes materiais por si só não disponibilizam os nutrientes necessários ao desenvolvimento satisfatório da planta, por isso independente do uso desses materiais, ainda assim é necessária a adição de adubos químicos ou minerais, que fornecerão os nutrientes e regularão o pH.
Para regular pH, fornecer cálcio e magnésio pode ser utilizado o calcário.
Para correção da deficiência de fósforo do substrato, pode ser utilizado Termofosfato ou super fosfato simples
Pode também ser acrescentado K e N para as primeiras semanas da planta ao substrato.

Lembramos que diferentes materiais e nutrientes acrescentados ao substrato, darão diferentes condições de crescimento à planta, e até proporcionando formas diferentes de crescimento, dependendo de disponibilidade ou deficiências de nutrientes.

Abaixo estão listadas algumas fórmulas que podem ser usadas para a produção de um bom substrato, mas que talvez não atenda à planta que você queira cultivar:

1 – Para Lisianthus, pode ser utilizada a mistura de Vermiculita + Humus + Perlita, na proporção de 2: 1 : 1/5, ou para cada 10 litros de substratos, misturar:
6,25 litros de Vermiculita
3,12 litros de Humus
0,62 litros de Perlita

2 – Para o cultivo de Gloxínia, bons resultados são obtidos com a mistura de ½: 1 : ½ , ou para cada 10 litros de mistura, colocar:
2,5 litros de Vermiculita
5 litros de Humus
2,5 litros de Perlita

Caso se queira aumentar ou diminuir a drenagem, é só modificar a quantidade da Perlita, para aumentar a densidade e o peso, pode-se adicionar solo argiloso à mistura.
Quer saber a quantidade de cada material utilizar na confecção do substrato, ou a quantidade de calcário ou adubação?? Entre em contato com um técnico da EMATER ou outra empresa , que fará os cálculos da quantidade e da forma de aplicação destes nutrientes.
Então, bom cultivo!


Glassubstrat Pflanze und Gärtner glass substrate plant and gardener 玻璃基板厂和园丁 стекольный завод подложки и садовник

Nenhum comentário:

Postar um comentário